domingo, 23 de julho de 2017

Livro: Os Mistérios de Sir Richard - Julia Quinn












Sinopse:"Sir Richard Kenworth tem menos de um mês para encontrar uma esposa… Por isso sabe que não pode ser muito exigente. Mas, quando vê Iris Smythe-Smith ao violoncelo no tradicionalmente desafinado recital de sua família, pensa que o destino trabalhou a seu favor. Ela é o tipo de garota que não atrai muitos olhares, porém algo o faz ter certeza de que é a escolha perfeita. Iris Smythe-Smith já se acostumou a ser subestimada… Com seu cabelo muito claro, a pele alva e o jeito discreto, ela quase sempre passa despercebida, ainda que seja a única do Quarteto Smythe-Smith que realmente sabe tocar um instrumento – não que alguém consiga escutá-la em meio à cacofonia dos concertos. Por isso, quando o charmoso Richard Kenworthy pede para ser apresentado a ela, Iris fica envaidecida, mas também desconfiada. E quando o pedido de casamento dele se transforma numa situação comprometedora, Iris tem a sensação de que ele está escondendo algo… ainda que Richard pareça mesmo apaixonado e que o coração dela esteja implorando para que diga sim."

Comentando...

Último volume do quarteto Smyte-Smith conta a história de Iris - a única do quarteto que realmente toca bem algum instrumento musical, no entanto, não gosta de tal atividade. Iris aparenta ser frágil mas é mais forte do que pensam; muitos membros da alta sociedade não a notavam:

[...] "Se uma pessoa estava sempre no centro de uma tormenta, perceberia a inclinação da chuva, sentiria o fustigar do vento?" - Página 15

 Outra característica em destaque é que a personagem ama ler:

"[...] Iris abriu o livro e começou a leitura. Em uma carruagem fechada. A sós com o belo marido. Ela leu um livro." - Página 91

A vida da protagonista muda completamente ao conhecer o enigmático Sir Richard que no início conta para Iris somente o superficial de sua vida que é muito mais complexa:

" [...] O pai lhe ensinara a montar e a ler - não a decifrar as letras e as palavras, mas amar a leitura, a valorizar os livros e o conhecimento. O que ele não ensinara - o que ninguém sonharia que seria preciso lhe ensinar tão cedo - era como administrar Maycliffe. [...]"

"[...] a não ser o fato de ser egoísta, covarde e, maldição, apenas queria ter mais alguns dias antes que o desgosto da esposa se convertesse em ódio declarado. Era pedir muito" - Página 165

O leitor fica extremamente curioso para saber o segredo que justifica o comportamento tão estranho de Richard e quando tudo é revelado, todas as peças encaixam-se. A autora solta algumas pequenas pistas, durante a leitura, entretanto, eu só tive o palpite certeiro algumas páginas antes do segredo ser contato. Foi algo bem planejado por Quinn e o final para resolução da problemática inclui outras reviravoltas para se chegar ao desfecho tão esperado.

Uma leitura com um belo romance que instiga o leitor a descobrir o mistério de Richard fazendo odiá-lo e amá-lo ao mesmo tempo. Curiosos? Leiam!

sexta-feira, 7 de julho de 2017

Livro:A menina dos Olhos Molhados - Marina Carvalho







Sinopse:"Bernardo é um excelente jornalista e suas matérias investigativas são sempre muito elogiadas. Ele só tem uma limitação: odeia trabalhar em equipe. Uma grande decepção amorosa fez com que ele se tornasse fechado e antipático. Por isso a incumbência de levar Rafaela, a nova estagiária do jornal onde trabalha, para todos os lugares, pode parecer a receita certa para uma desgraça. Mas, com o passar dos dias, Bernardo e Rafaela descobrirão que têm muito mais em comum do que a paixão pelo jornalismo."

Comentando...

"A menina dos olhos molhados" é um verdadeiro presente para o leitor apreciar a versão do personagem Bernardo que foi apresentado no livro "Azul da Cor do Mar"

Tive a honra de fazer parte do Time das Leitoras Betas neste livro e foi ótimo ler tudo em primeira mão, antes da publicação oficial.

Alertas : Leitor prepare-se para conhecer outras facetas de Bernardo e personagens que nem se quer imaginávamos a existência, como a Valentina que não posso comentar para não soltar um spoiler.

A autora consegue embarcar totalmente na mente masculina e o leitor sente-se como o personagem estivesse ali ao lado de seu ouvido, confessando todas sua angústias e alegrias.

Marina  Carvalho com esse livro consegue de maneira altamente cativante construir outra estória a partir da mesma. Demonstra que os olhos  de cada personagem fazem TODA a diferença em uma leitura.

Passado e Presente conectados por personagens repletos de qualidades e defeitos. Fato este que o tornam tão reais dentro de um livro que garante boas risadas, ansiedade para saber o que irá ocorrer nas próximas páginas e aquele efeito colateral de terminar a leitura sentido-se absolutamente apaixonada

terça-feira, 27 de junho de 2017

Música: Harry Styles

Uma rápida postagem para comentar sobre música.

Sem preconceitos! Pois muitas pessoas tem sim, preconceitos quando falamos de algum cantor que fez parte de uma Boyband e neste caso, é da famosa One Direction. Harry Styles, recentemente, lançou um álbum solo, fui conferir as canções e gostei.

 Destaco a música: "Two Ghosts" - uma balada acústica que sinceramente, ouvi repetidas vezes. "Sweet Creature" também é outra que faz parte da minha playlist de "canções queridinhas".

 O álbum é composto de 10 faixas e destas, posso comentar que gostei de 8, ou seja, uma boa quantidade. Então. fica a dica para ouvir sem rotular quem canta, pois o que importa é a canção.

quinta-feira, 25 de maio de 2017

Livro: A noiva do Capitão - Tessa Dare

Sinopse: "Madeline possui muitas habilidades preciosas: é uma excelente desenhista, escreve cartas como ninguém e tem uma criatividade fora do comum. Mas se tem algo em que ela nunca consegue obter sucesso, por mais que tente, é em se sentir confortável quando está cercada por muitas pessoas... Chega a lhe faltar o ar! Um baile para ser apresentada à Sociedade é o sonho de muitas garotas em idade para casar, mas é o pesadelo de Maddie.
E, para escapar dessa obrigação, a jovem cria um suposto noivo: um capitão escocês. Ela coloca todo o seu amor em cartas destinadas ao querido – e imaginário – Capitão Logan MacKenzie e convence toda a sua família de que estão profunda e verdadeiramente apaixonados.
Maddie só não imaginava que o Capitão “MacFajuto” iria aparecer à sua porta, mais lindo do que ela descrevia em suas cartas apaixonadas e pronto para cobrar tudo o que ela lhe prometeu."

Comentando...

“Às vezes uma mulher não precisa se encaixar no papel que criaram para ela. Nós fazemos o necessário para trilhar nosso próprio caminho, para criar nosso próprio espaço”.

O que é melhor para uma leitora quando vê que a protagonista é uma sonhadora e possui um incrível dom para a escrita? Somente me vem a cabeça ler e reler A Noiva do Capitão e fazer de conta que naqueles preciosos momentos de leitura vou ser a própria Maddie fantasiando  o seu capitão escocês durante quase uma década. Madeline cria toda esta artimanha, o seu próprio admirador secreto, para fugir do seu debut na sociedade Londrina e toda uma temporada de bailes e a pressão social.

“A vida toda de Maddie foi um exercício para evitar atenção. Observar, em ver de ser observada. Ela dominava a arte de se esconder à vista de todos. Pela primeira vez, ela queria  que aquela atenção nunca acabasse.”

O que começara com uma brincadeira inocente, acaba virando uma verdadeira bola de neve. E vai se passando o tempo, Madeline se envolve na sua mentira. Ela encontra no meio daquelas cartas, uma válvula de escape para a pressão que sofre na família. E a maneira de assim seguir os seus sonhos e não o que a família quer.  Maddie realmente consegue: um castelo, uma renda e a Escócia, então não podendo mais viver de sonhos de adolescente, ela dera um fim digno ao seu guerreiro escocês, Capitão Logan Mackenzie.

“Era desconcertante o quanto ele sabia a respeito dela sem a conhecer de verdade. Ela, por sua vez, estava completamente no escuro com relação ao Logan MacKenzie real.”

Tudo seriam rabiscos e dedos manchados na vida de Madeline, se não fosse a visita de um guerreiro escocês que se diz ser o CAPITÃO LOGAN MACKENZIE. Um homem de proporções alarmantes para uma jovem sonhadora, que se encaixa com precisão nas suas descrições. Porém, a personalidade doce e romântica não tinha nada a ver com aquele homem frio e arrogante.

“Foi perturbador de tão romântico, isso sim. Você poderia ser um pouco menos encantador? Isso deveria ser um casamento de conveniência.”

Logan é um guerreiro, que nunca entenderá como uma tola adolescente da aristocracia inglesa decidira mandar cartas para um soldado escocês. Mas, há males que vem para o bem, e ele faria o que estivesse ao seu alcance para tirar bom proveito da situação. Ela tinha um castelo nas terras da Escócia, o lugar de direito e grande para ele e sua tropa de soldados. Tudo que tinha que fazer era casar com a jovem.

“Aquelas marcas revelavam que a vida dele tinha sido de batalhas e lutas, assim como os dedos pálidos e manchados de tinta contavam que a vida de Maddie era rabiscar.”

A Noiva do Capitão é um estilo de bela e a fera. A Madeline como a jovem que esta em busca de concretizar os seus sonhos: ser ilustradora; Logan é a fera, o guerreiro que sofrera muito na vida e que conseguira sobreviver a inúmeros obstáculos. Acompanhamos a interação entre os dois, Logan mostrando que mesmo “sem coração” é um homem honrado e com grande senso de justiça e responsabilidade com os seus homens. Então, um casamento de conveniência, se torna algo mais complicado, já que a atração entre ambos não consegue atingir este objetivo.

“Finalmente, ela possuía um instante de triunfo. Aquele escocês das Terras Altas podia ter aparecido do nada e a encurralado, deixando-a sem opções que não fossem adversas ao restante de sua vida... mas tinha conseguido aquela pequena vitória sobre ele.”

“Salões de baile em Londres, atoleiros na Escócia... não haveria lugar no mundo que fosse seguro para uma desajeitada solteirona inglesa?”

Uma boa dose de briga de cão e gato, Maddie e Logan vão se conhecendo, e um atoleiro aqui, um baile acolá, a clima fica cada vez mais profundo e palpável. Seguindo o mesmo estilo dos livros anteriores, A Noiva do Capitão traz mais uma história envolvente e divertida, com personagens que seguem os seus sonhos e não desistem dos obstáculos que vão encontrando no caminho.


“Essa é a coisa mais admirável em você, mo chridhe. A capacidade que tem para trazer vida onde parece não existir nada.”

sexta-feira, 12 de maio de 2017

Livro: O Jogo - Elle Kennedy

Sinopse:"Talentoso, inteligente e festeiro, Dean Di Laurentis sempre consegue o que quer. Sexo, notas altas, sexo, reconhecimento, sexo… É sem dúvida um galanteador de primeira, e ainda está para encontrar uma mulher imune ao seu charme descontraído e seu jeito alegre de encarar a vida. Isto é, até ele se envolver com Allie Hayes. Em uma única noite, essa jovem atriz cheia de personalidade virou o mundo de Dean de cabeça para baixo. E agora ela quer que eles sejam apenas amigos? Dean adora um desafio, e não vai medir esforços para convencer essa mulher tão linda quanto teimosa de que uma vez não é suficiente. Mas o que começa como um simples jogo de sedução logo se torna a experiência mais incrível e surpreendente de sua vida. Afinal, quem disse que sexo, amizade e amor não podem andar de mãos dadas?"

Comentando...


Primeiramente, um grande agradecimento para Editora Paralela que gentilmente enviou este exemplar de cortesia para o blog.

O Jogo é repleto de cenas Hots desde o início, contudo o livro não trata somente disso. Ao longo da leitura, conhece-se cada vez mais os personagens e a autora consegue trabalhar de uma maneira fluída,  sem focar somente no drama, temas sérios como a perda de alguém querido, as decisões de trabalho na vida adulta e conflitos amorosos.

Em primeira pessoa, Kennedy alterna o ponto de vista da leitura entre Dean e Allie, narrativa com linguagem simples e direta. Uma certa dosagem de humor. Destaco a referência a saga Crepúsculo ( Tanto o livro quanto o filme), este trecho renderá boas risadas para o leitor. Outra parte um tanto cômica fica por conta da série francesa fictícia denominada de "Solange" trata-se de um drama ao estilo mexicano com muitas reviravoltas que a personagem Allie assiste com Dean.

A autora também utiliza do recurso "musical" introduzindo em diversos acontecimentos música que faz o leitor ficar curioso, querer ouvir a música citada e de certo modo torna a ficção um pouco mais real pelo fato das músicas existirem. 

A capa ficou linda e representa muito bem o casal de protagonistas conforme são descritos.

 Quem não leu os volumes anteriores pode sem problema ler "O Jogo", já que cada livro trata de um casal. Contudo, será inevitável alguns spoilers dos volumes anteriores, mas os detalhes de cada casal somente lendo cada livro.

quarta-feira, 26 de abril de 2017

Livro: Ligeiramente Perigosos - Mary Balogh














Sinopse: "Aos 35 anos, Wulfric Bedwyn, o recluso e frio duque de Bewcastle, está ávido por encontrar uma nova amante. Quando chega a Londres, os boatos que correm são os de que ele é tão reservado que nem a maior beldade seria capaz de capturar sua atenção. Durante o evento social mais badalado da temporada, uma dama desperta seu interesse: a única que não tinha essa intenção. Christine é impulsiva, independente e altiva – uma mulher totalmente inadequada para se tornar a companheira de um duque. Ao mesmo tempo, é linda e muito, muito atraente. Mas ela rejeita os galanteios de todos os pretendentes, pois ainda sofre para superar as circunstâncias pavorosas da perda do marido. No entanto, quando o lobo solitário do clã Bedwyn jura seduzi-la, alguma coisa estranha e maravilhosa acontece. Enquanto a atração dela pelo sisudo duque começa a se revelar irresistível, Wulfric descobre que, ao contrário do que sempre pensou, pode ser capaz de deixar o coração ditar o rumo de sua vida. Em “Ligeiramente perigosos”, o sexto e último livro da série Os Bedwyns, Mary Balogh conclui a saga desta encantadora família em uma trama repleta de cenas sensuais, tiradas espirituosas e personagens à frente de seu tempo. Ao unir um homem e uma mulher tão diferentes, ela mostra que o resultado só poderia ser um par perfeito."

Comentando...

Inicio esta resenha com uma citação retirada da sinopse, pois resume muito bem essa leitura:

“Este livro tem o humor e os ecos deliciosos de Orgulho e preconceito, de Jane Austen. Uma conclusão extraordinária para uma série encantadora.” – Publishers Weekly

Quem leu essa declaração e já se animou ao ler o nome do ícone literário - Jane Austen - certamente vai adorar esse livro, não há como negar que Wulfric possui a essência de Mr. Darcy. Fica bem evidente ao ler o Capítulo 10, mas, a fim de não ter spoiler não será citado trecho algum deste capítulo em especial.

" [...] Era um homem extremamente poderoso e arrogante - e frio como gelo, ao menos era o que  diziam." - Página 12

" Mas não foi a aparência impressionante do convidado que manteve Chistine em silêncio paralisada, espiando quando deveria ter tomado uma atitude.Foi mais o modo absolutamente seguro e orgulhoso com que ele se apresentava,a arrogância nítida, a inclinação da cabeça. Com certeza aquele era um homem que ditava as regras de seu mundo com facilidade e exigia obediência imediata de seus inferiores - os quais obviamente incluíam praticamente qualquer outro ser vivo. [...] " - Página 22

A protagonista Christine tem o estilo de Elizabeth Bennet  por confrontar e não  demonstrar inferioridade ao famoso duque.

 Acho que devemos manter distância e rir dele de longe caso o sujeito se revele tão pretensioso e arrogante quanto diz sua fama [...]" - Página 32

"Ela antipatizava intensamente com o duque de Bewcastle. Mais do que isso, sentia desprezo por ele e por tudo o que ele representava. [...] - Página 73

" A Sra. Derrick espalhava luz, apesar das sombras que ele vira nela de relance.
E, por mais que não desejasse, Wulfric ainda estava fascinado por aquela luz." - Página 105

Os diálogos são bem construídos no decorrer do enredo.

— [...] E não acredito que o senhor guarde pensamentos muito gentis a meu respeito. Certamente não é todo dia que uma humilde plebeia recusa duas ofertas diferentes, porém igualmente lisonjeiras, de um duque.
— A senhora então presume que eu tenha pensado na senhora? " - Página 169

— [...] A senhora me disse que qualquer homem que deseje se casar com a senhora precisa ter uma personalidade cálida, ser dotado de bondade desinteressada e senso de humor. Ele deve amar as pessoas, particularmente as crianças, as traquinagens e o ridículo. Não deve ser um homem obcecado consigo e nem com a própria importância. [...]"

Os casais dos volumes anteriores aparecem em "Ligeiramente Perigosos". Balogh soube conduzir essa série apresentando ao leitor um ótimo ponto final com este livro.

sábado, 15 de abril de 2017

Livro: O Sol também é uma estrela - Nicola Yoon
















Sinopse:" Natasha: Sou uma garota que acredita na ciência e nos fatos. Não acredito na sorte. Nem no destino. Muito menos em sonhos que nunca se tornarão realidade. Não sou o tipo de garota que se apaixona perdidamente por um garoto bonito que encontra numa rua movimentada de Nova York. Não quando minha família está a 12 horas de ser deportada para a Jamaica. Apaixonar-me por ele não pode ser a minha história.
Daniel: Sou um bom filho e um bom aluno. Sempre estive à altura das grandes expectativas dos meus pais. Nunca me permiti ser o poeta. Nem o sonhador. Mas, quando a vi, esqueci de tudo isso. Há alguma coisa em Natasha que me faz pensar que o destino tem algo extraordinário reservado para nós dois.


O Universo: Cada momento de nossas vidas nos trouxe a este instante único. Há um milhão de futuros diante de nós. Qual deles se tornará realidade?"

Comentando...

Li o primeiro livro da autora Nicola Yoon e me apaixonei pela escrita dela. Em O sol também é uma estrela temos a história de Natasha, uma garota que vai ser deportada para a Jamaica junto com sua família. Ela acredita em fatos concretos e na ciência, e não quer ir embora dos Estados Unidos.

“Hoje é minha última chance de tentar convencer alguém – ou o destino – a me ajudar a descobrir um modo de ficar nos Estados Unidos.” Pág. 12

Porém, Natasha vai conhecer Daniel, um garoto filho de coreanos. Daniel é voltado para as Artes, quer ser um poeta. Ele sempre cumpriu as expectativas de seus pais sendo um bom aluno, mas ele quer algo mais, algo que nunca se permitiu ser.

A química entre os dois vai ser grande, mesmo Natasha achando que não é possível sentir algo tão forte por alguém que acabou de conhecer. Ela vai perceber que algumas coisas na vida não podem ser explicadas cientificamente.

“Sei que não existe isso de ‘feitos um para o outro', no entanto fico imaginando se talvez não esteja errada.” Pág. 86

O livro é dividido entre a perspectiva de Natasha e Daniel, e também em partes que falam de personagens que aparecem no decorrer da história. Como a história é contada por diferentes lados podemos perceber que o acaso pode mudar e ou influenciar a vida de uma pessoa.

O livro nos dá a perspectiva de que coisas inevitáveis acontecem em nossas vidas e que um pequeno ato pode mudar a vida de uma pessoa. A história toda passa em apenas um dia e percebemos o quanto acontecimentos que acontecem em um instante podem influenciar nossa vida.

O final do livro é emocionante, mas algumas situações são deixadas em aberto e ficamos imaginando o que vai realmente acontecer com os personagens.

“A vida nem sempre acontece como a gente planeja.” Pág. 214

domingo, 9 de abril de 2017

Livro: O acordo - Elle kennedy















Sinopse: "Hannah Wells finalmente encontrou alguém que a interessasse. Mas, embora seja autoconfiante em vários outros aspectos da vida, carrega nas costas uma bagagem e tanto quando o assunto é sexo e sedução. Não vai ter jeito: ela vai ter que sair da zona de conforto… Mesmo que isso signifique dar aulas particulares para o infantil, irritante e convencido capitão do time de hóquei, em troca de um encontro de mentirinha.
Tudo o que Garrett Graham quer é se formar para poder jogar hóquei profissional. Mas suas notas cada vez mais baixas estão ameaçando arruinar tudo aquilo pelo qual tanto se dedicou. Se ajudar uma garota linda e sarcástica a fazer ciúmes em outro cara puder garantir sua vaga no time, ele topa. Mas o que era apenas uma troca de favores entre dois opostos acaba se tornando uma amizade inesperada. Até que um beijo faz com que Hannah e Garret precisem repensar os termos de seu acordo."

Comentando...

 O primeiro livro da série "Amores Improváveis" trata-se do amor entre um popular jogador de hóquei e uma inteligente aluna de música.

 Atrás do livro na sinopse tem um aviso "Conteúdo Adulto" então fica o alerta para que tipo de público é destinado essa leitura.

 A autora tem um vocabulário extremamente simples, narrando em primeira pessoa com os pontos de vista de Hanna e Garret; é algo tão informal que volta e meia parece que os personagens conversam com o leitor.

O leitor pode se surpreender, pois apesar de "O Acordo" ter essa linguagem simples trata-se de assuntos sérios. Estes ficam por conta do triste passado de Hanna e a família de Garret. Contudo, Elle Kennedy tenta não focar tanto no drama e sim na situação atual da vida dos personagens, o que torna a leitura mais agradável de acordo com o que a sinopse propõe.

 Há o depoimento de Anna Todd - autora famosa série de livros "After" e dá para entender porque ela está inserida com o depoimento, já que a personagem Hanna gosta da música do One Direction.

Poderia falar mais da leitura, entretanto, não quero dar spoilers, então acho que essa resenha proporciona um gostinho do que é esse livro.

quinta-feira, 30 de março de 2017

Livro: A Soma de Todos os Beijos - Julia Quinn













Sinopse: "Um brilhante matemático pode controlar tudo… A não ser que um dia exagere na bebida a ponto de desafiar o amigo para um duelo. Desde que quebrou essa regra de ouro, Hugh Prentice vive com as consequências daquela noite: uma perna aleijada e os olhares de reprovação de toda a sociedade. Não que ele se importe com o que pensam dele. Ou pelo menos com o que a maioria pensa, porque a bela Sarah Pleinsworth está começando a incomodá-lo. Lady Sarah nunca foi descrita como uma pessoa contida… Na verdade, a palavra que mais usam em relação a ela é “dramática” – seguida de perto por “teimosa”. Mas Sarah faz tudo guiada pelo bom coração. Até mesmo deixar bem claro para Hugh Prentice que ele quase destruiu sua família naquele bendito duelo e que ela jamais poderá perdoá-lo. Mas, ao serem forçados a passar uma semana na companhia um do outro, eles percebem que nem sempre convém confiar em primeiras impressões. E, quando um beijo leva a outro, e mais outro, e ainda outro, o matemático pode perder a conta e a donzela pode, pela primeira vez, ficar sem palavras."

Comentando...


Dessa vez, a resenha será iniciada pela foto de como imagino os protagonistas: Hugh e Sarah.

Repararam que nesta representação eles não demonstram olhares apaixonados ? Então, essa imagem foi escolhida propositalmente já que em "A Soma de Todos os Beijos"  Hugh e Sarah inicialmente não possuem simpatia alguma um pelo outro, mas claro que ao longo da leitura esse fato muda.

 Nas primeiras páginas do livro há uma explicação da relação de Hugh com a família e o leitor pode perceber o quanto pai é diferente dele:

" Porque todos sabiam que o marquês amava seu título de nobreza, Hugh e Freddie exatamente nessa ordem ." - Página 18

O capítulo 2 e 3 dão um panorama muito interessante de como Hugh e Sarah se conheceram. Cada capítulo mostra os acontecimentos (Sem repeti-los e sim por meio de continuidade) o ponto de vista de cada um. 

Em certo momento do livro a protagonista vai vivenciar um pouco o que é a vida de Hugh e esse fato, eu diria que é essencial para aproximação dos dois.

" Daquele momento em diante, Sarah não se perguntou mais por que ele não sorria com muita frequência. Em vez disso, passou a se admirar por ele ainda sorrir. " - Página 153

Hugh também começa a ter outra percepção sobre Sarah:

"Julgara-a mal, percebeu. Sim, ela era muito dramática e dada a grandes pronunciamentos, mas não era a debutante superficial que um dia imaginara. [...] " - Página 154

Quinn continua com a narrativa romântica:

" [...] Então a beijou uma última vez, verdadeira e profundamente, esperando que ela entendesse o que isso significava : que ele estava lhe oferecendo a própria alma. " - Página 180

E a autora também carrega consigo, o toque de humor. Este fica por conta das irmãs de Sarah que tem "brigas" internas, diálogos que só elas mesmas entendem e um forte sentimento de amizade que as unem.

Algo que destaca-se é que a autora consegue pegar fatos dos livros anteriores e encaixá-a-los trazendo em cada volume um problema a ser resolvido.

quinta-feira, 23 de março de 2017

Filme: A Bela e A Fera


O chamado " live action", ou seja, o desenho virando filme com atores do clássico A Bela e A Fera tem atraído diversos expectadores ao cinema e claro que o blog Eternamente Princesa! não podia ficar de fora e comentar.


 Suspiros ao ver o desenho na infância e deixa um doce sorriso no rosto ao ver cada cena desta versão:


Fãs do desenho não vão se decepcionar, pois a Disney cuidou de cada detalhe. No elenco atores de peso, como Emma Watson dando graça e vida a protagonista Bela, Ewan McGregor como o falante castiçal  Lumuère, Ian Mckellen interpretando o famoso relógio, Luke Evans dando um show como Gastão, Dan Stevens como A Fera ( Destaco a cena final, em que se transforma no Príncipe e Bela olha os olhos azuis e o reconhece como a sua Fera, detalhe igual ao desenho.) e participação da Emma Thompson.

 Figurino impecável. E quanto as músicas, todas que foram retiradas do desenho ficaram perfeitas, contudo, acrescentaram cerca de mais 4 canções que ficaram no contexto dando suporte a história contada. Explicações como " Por que os criados também foram amaldiçoados?" e " Como a mãe da Bela faleceu?" são finalmente revelados de forma delicada.

Defeito no filme? Talvez deixe um toque de tristeza ao visualizarmos os créditos finais descendo pela telona do cinema, pois queremos apreciar toda magia novamente.