quinta-feira, 12 de abril de 2018

Livro: Atraída Por Um Highlander - Série Irmãos Mccabe














Sinopse: A nova trilogia de Maya Banks, autora best-seller do The New York Times, aborda três irmãos inesquecíveis arriscando tudo para salvar seu clã e seu legado ? e para entregar seus corações ao amor. Ewan McCabe, o mais velho dos irmãos, é um guerreiro determinado a dizimar seu inimigo. E o agora é um momento oportuno para a batalha, já que seus homens estão prontos e Ewan está preparado para pegar de volta o que lhe pertence; contudo, uma tentação de olhos azuis e cabelos negros adentra seu castelo e sua vida. Mairin pode ser a salvação do clã de Ewan, mas, para um homem que sonha com vingança, os assuntos do coração são um território insignificante para conquistar. Filha ilegítima do rei, Mairin tem uma propriedade valorizada que a tornou o centro de um jogo de interesses ? e reticente no amor. Seus piores medos vêm à tona quando ela é resgatada do perigo só para ser obrigada a se casar com seu salvador carismático e autoritário, Ewan McCabe. Mas a atração por seu novo marido robustamente poderoso a faz implorar por seu toque surpreendentemente gentil; seu corpo ganha vida sob aquele controle sensual. E, conforme a guerra se aproxima, a força, a alma e a paixão de Mairin desafiam Ewan a derrotar seus demônios ? e se entregar a um amor que vale mais do que vingança e dinheiro.

Comentando...

Foi meu segundo contato com um romance de época da autora Maya Banks e o saldo foi positivo. O que chama atenção em "Atraída Por Um Highlander "  é a inserção do universo de clãs, a lealdade entre os membros do clã, os costumes como treinar exército,  as guerras pelas disputas por riquezas e o passado de cada personagem que o torna o que ele é no momento em que "sua aventura" é narrada.

O enredo é muito bem conduzido, não há grandes reviravoltas, entretanto a narrativa consegue captar atenção do leitor. Há um vilão, um traidor ou será traidora? (Não vou revelar, tem que ler).

O romance entre os protagonistas não será o tradicional repleto de flertes para depois nas partes finais o tão sonhado casamento. É justamente, por meio dos laços matrimoniais e do convívio diário que o casal vai se apaixonando.

 Inicialmente, não espere palavras bonitas e poesias de Ewan MacCabe. Ele tem atitudes de um guerreiro conforme foi a sua criação porém tem um nobre coração.

É interessante acompanhar como Mairin Stuart é forte e mesmo sendo obrigada em grande parte da vida a  ficar "isolada do mundo", ela vai aprendendo a ser parte do clã MacCabe. Falando nestes, destaques para os irmãos de Ewan, no livro percebemos o companheirismo e amor que nutrem um pelo outro.

Existem duas cenas em especial  que Maya Banks coloca em pauta a questão que as mulheres não devem ser tratadas como submissas, merecem respeito e igualdade. 

Quanto as descrições a autora usa uma linguagem crua nas ditas "cenas hots", por isso é aquela leitura recomendada para maiores de 18 anos.

Ao final do livro já há um trecho do próximo volume " Seduzida por um highlander" que será focado em Alaric McCabe. 

A diagramação é extremamente simples, claro que isso não desvaloriza o  livro, o conteúdo é o que importa. Mas este aspecto  poderia ser mais trabalhado. Já a capa além de chamar atenção retrata bem a protagonista.

Finalizando a resenha deixo uma imagem de como imagino o casal: Mairin e Ewan

segunda-feira, 9 de abril de 2018

Assisto ou Desisto: Série The Handmaid's Tale
















Sinopse:Depois que um atentado terrorista ceifa a vida do Presidente dos Estados Unidos e de grande parte dos outros políticos eleitos, uma facção toma o poder com o intuito declarado de restaurar a paz. O grupo transforma o país na República de Gilead, instaurando um regime totalitário baseado nas leis do antigo testamento, retirando os direitos das minorias e das mulheres em especial. Em meio a isso tudo, Offred é uma "handmaid", ou seja, uma mulher cujo único fim é procriar para manter os níveis demográficos da população. Ela é entregue ao Comandante, um oficial de alto escalão do regime, e a relação sai dos rumos planejados pelo sistema.

Comentando...

O "Assisto ou Desisto" de Abril é da famosa série 
The Handmaid's Tale baseado no livro ("O conto da Aia") de 1985 da autora  Margaret Atwood. Não li o livro então esta postagem está restrita sobre a série que por sinal, nossa (Nossa!) é difícil de comentar. 

Inicio pelas premiações que não são poucas: Indicada a 13 Emmys e ganhou em oito categorias. Vencedor de dois Globos de Ouro, dois prêmios 
Satellite Award , dois TCA  Award , dois referente ao Critics' Choice Television Award e um prêmio de Costume Designers Guild Award.

Exibida originalmente pelo serviço de streaming Hulu e recentemente começou a ser exibida em canais de tv à cabo. A primeira temporada é composta de 10 episódios com duração entre 50 até 60 minutos. 

Offred, uma mulher que acabou sendo transformada em uma Aia( Termo utilizado para as mulheres responsáveis por gerar um filho , visto que a maioria das mulheres não conseguia ter um bebê).As Aias eram obrigadas a ter relações sexuais com os comandantes designados a elas com a presença da esposa, o ato é chamado de "cerimônia". Ao longo dos episódios o espectador tem "flashes" sobre a antiga vida de Offred (Ela tinha um marido, uma filha).Também é mostrado o passado de outros personagens importantes na história.

As cenas são fortes e muito chocantes. Mostra o extremo sofrimento das mulheres sendo tratadas como inferiores perante aos homens, a hipocrisia da nova Sociedade estabelecida e coloca em questionamento o "Fanatismo Religioso" que justifica atos brutais e desumanos.

Ótimas atuações, destaque é que tem  Alexis Bledel - eterna Rory de Gilmore Girls. Me pergunto o que a personagem Lorelai Gilmore falaria ao ver cada capítulo. O episódio de número dez deixou aquela curiosidade por mais e em breve teremos a segunda temporada. 


Por fim, prepare-se para frases como: “Bendito seja o fruto” e “que o Senhor possa abrir” e bom seriado.

sexta-feira, 23 de março de 2018

Assisto ou Desisto: Seriado - Raising Hope























Sinopse: Jimmy Chance (Lucas Neff) é um jovem de 23 anos que torna-se um pai solteiro quando uma garota, com quem passou uma noite junto, é presa e condenada à morte. Agora, ainda morando com seus pais e sem um futuro em vista, ele precisa criar a filha, Hope. O problema é que ninguém da sua família sabe realmente como cuidar de um bebê.

Comentando...

Não julgue um seriado pelo primeiro episódio! Esta foi uma das lições que aprendi ao assistir "Raising Hope". Lançada em 2010 e com o fim em 2014, composto de 4 temporadas. Todos disponíveis na Netflix.

Há um tempo, eu tive curiosidade e iniciei o primeiro capítulo. Entretanto, não havia "me prendido", fazendo com que nem chegasse metade do episódio de estréia. Meses depois do ocorrido, resolvi assistir novamente e como valeu a pena. Realmente o primeiro episódio é muito fraco, mas os outros são risos garantidos.Além de risadas com toque de humor negro há uma doçura por conta de cada lição que o personagem Jimmy aprende ao cuidar da Hope além dos defeitos e qualidades da excêntrica família dele. 


O elenco é ótimo, rapidamente você aprende a característica de cada personagem. Destaque para Hope, desde bebê faz expressões e risos encantadores.Ela vai crescendo ao longo das temporadas.

A série contou com participações especiais como a da cantora Katy Perry

"Raising Hope" tem episódios com cerca de 23 minutos. Não tem aquele formato que na própria série colocam risadas do público.Garanto que você fará este papel rindo e MUITO.

Grande defeito:  É Viciante.


Algo que chamou minha atenção é que o protagonista lembra o eterno Beatles ,John Lennon, quando jovem.Deixo aqui registrado uma comparação entre os dois que encontrei:


Atualmente, estou assistindo a penúltima temporada. Já prevejo aquele sentimento que vou sentir saudades quando assistir o último episódio. Veredito final é: ASSISTAM.

quarta-feira, 21 de março de 2018

Livro: Beleza Perdida - Amy Harmon


Sinopse:Ambrose Young é lindo — alto e musculoso, com cabelos que chegam aos ombros e olhos penetrantes. O tipo de beleza que poderia figurar na capa de um romance, e Fern Taylor saberia, pois devora esse tipo de livro desde os treze anos. Mas, por ele ser tão bonito, Fern nunca imaginou que poderia ter Ambrose... até tudo na vida dele mudar. Beleza perdida é a história de uma cidadezinha onde cinco jovens vão para a guerra e apenas um retorna. É uma história sobre perdas — perda coletiva, perda individual, perda da beleza, perda de vidas, perda de identidade, mas também ganhos incalculáveis. É um conto sobre o amor inabalável de uma garota por um guerreiro ferido. Este é um livro profundo e emocionante sobre a amizade que supera a tristeza, sobre o heroísmo que desafia as definições comuns, além de uma releitura moderna de A Bela e a Fera, que nos faz descobrir que há tanto beleza quanto ferocidade em todos nós.

Comentando...


Na época que soube do lançamento deste livro,logo entrou na minha lista de leitura. E apesar de ter ganhado ele em 2015 somente agora que li. Confesso que tinha expectativas de um romance muito intenso e com detalhes. Há romance na leitura, mas a carga do livro definitivamente, é dramática. 


Harmon escreve em terceira pessoa que foi algo essencial para ter a perspectiva da vida de cada personagem. "Beleza Perdida" segue, em sua grande parte, uma trajetória linear (Passado e Presente) com alguns flashes do passado para explicar situações atuais.


Personagens fortes que o leitor passa a gostar cada vez mais.


A seguir alguns trechos de destaque:



"[...] parecia um daqueles caras de capa de romance.Até seu nome parecia pertencer a algum personagem de literatura picante. E Fern saberia. Havia lido milhares desses livros. [...] Mas ninguém nunca se compararia a Ambrose Young. Nem na ficção, nem na vida real." - Página 12 - 13

"— Todo mundo é protagonista para alguém [...]" - Página 30

"Não eram bilhetes de amor típicos. Eram bilhetes de amor porque Fern havia colocado neles toda a sua alma e o seu coração, e Ambrose parecia fazer o mesmo, respondendo com honestidade e uma vulnerabilidade que ela não tinha previsto.[...]" - Página 40

Minha parte favorita do livro: As perguntas e respostas de Fern e Ambrose:

*ANTES OU DEPOIS? Fern: "Antes; a expectativa costuma ser melhor que a coisa real." Ambrose:Depois. A coisa real, quando bem feita, é melhor que sonhar acordado." 

*CANÇÕES DE AMOR OU POESIA?: Ambrose: "Canções de amor, porque a gente consegue o melhor das duas coisas:poesia musicada. E não dá para dançar com poesia."

*Perguntas e respostas retiradas da página 41


"Fern lia romances desde que tinha treze anos. Havia se apaixonado por Gilbert Blythe de Anne de Green Gables e ficara ávida por se apaixonar daquele jeito repetidas vezes." - Página 184

Reconheceram o mocinho da citação acima? É do livro que é baseado seriado  ''Anne with an "E"".



Uma leitura sobre perdas, amizade, amor ... Sobre a beleza e "feiura" existente em cada um.

quinta-feira, 8 de março de 2018

Livro: Lola e o Garoto da Casa ao Lado - Stephanie Perkins






















Sinopse:A designer-revelação Lola Nolan não acredita em moda... ela acredita em trajes. Quanto mais expressiva for a roupa — mais brilhante, mais divertida, mais selvagem — melhor. Mas apesar de o estilo de Lola ser ultrajante, ela é uma filha e amiga dedicada com grandes planos para o futuro. E tudo está muito perfeito (até mesmo com seu namorado roqueiro gostoso) até os gêmeos Bell, Calliope e Cricket, voltarem ao seu bairro.
Quando Cricket — um inventor habilidoso — sai da sombra de sua irmã gêmea e volta para a vida de Lola, ela finalmente precisa conciliar uma vida de sentimentos pelo garoto da porta ao lado.

Comentando...

O tipo de leitura extremamente leve e rápida. Narrado em primeira pessoa e com uma linguagem simples, o leitor conhece a vida de Lola: uma jovem que ama ter uma aparência "diferente" e guarda dentro do coração um amor/amizade que teve um desfecho mal resolvido quando mais jovem.

O que torna Lola uma personagem agradável é o fato dela fazer questionamentos sobre ela mesma e procurar sempre ser uma pessoa melhor.

Cricket certamente parece aqueles mocinhos saídos diretamente dos filmes para adolescentes da Disney. O livro em si, tem um ótimo enredo para um filme fofo deste estilo.Já o imagino sendo exibido na Disney Channel. Enquanto não existe filme, leiam o livro...

Sou apaixonada pela capa de "Lola e o Garoto da Casa ao Lado", representa muito bem o cenário da história e os protagonistas.

A seguir alguns trechos:

"[...] um vasto santuário de discos de vinil raros, cartazes de bandas e intermináveis fileiras de CDs com abas de gêneros musicais identificadas por cores. Ainda há vantagens em se poder segurar a música nas mãos." - Página 77

"[...] Até onde consigo lembrar, eu costumava conversar com a lua.Pedia orientação.Existe algo profundamente espiritual em seu brilho pálido, sua superfície povoada de crateras, sua fase crescente e sua fase minguante. Ela usa um vestido novo a cada noite, ainda que seja sempre ela mesma." - Página 91

— [...] As pessoas se esforçam mais quando sabem que alguém se importa com elas." - Página 269

  Sei que você não é perfeita, mas são as imperfeições de uma pessoa que a tornam perfeita para alguém." - Página 277

quarta-feira, 28 de fevereiro de 2018

Livro: Cilada para um marquês - Sarah MacLean

Sinopse: Sophie Talbot é conhecida pela Sociedade como uma das Irmãs Perigosas – mulheres Talbot que fazem de tudo para se arranjar com algum aristocrata. O apelido chega a ser engraçado, pois se existe algo que Sophie abomina é a aristocracia. Mas parece que mesmo não sendo uma irmã tão perigosa assim, o perigo a persegue por todos os lugares.
Quando a mais “desinteressante” das irmãs Talbot se torna o centro de um escândalo, ela decide que chegou a hora de partir de Londres e voltar para o interior, onde vivia antes de seu pai conquistar um título. Em Mossband, ela pretende abrir sua própria livraria e encontrar Robbie, um jovem que não vê há mais de uma década, mas que jura estar esperando por ela.
No entanto, ao fugir de Londres, seu destino cruza com o de Rei, o Marquês de Eversley e futuro Duque de Lyne, um homem com a fama de dissolver noivados e arruinar as damas da Sociedade. Rei está a caminho de Cumbria para visitar o odioso pai à beira da morte e tomar posse de seu ducado. Tudo o que ele menos precisava era de uma Irmã Perigosa em seu encalço.
O Marquês de Eversley está convicto de que Lady Sophie Talbot invadiu sua carruagem para forçá-lo a se casar com ela e conquistar um título de futura duquesa. Já Sophie tenta provar que não se casaria com ele nem que fosse o último homem da cristandade. Mas e quando o perigo tem olhos verdes, cabelos claros e a língua afiada?
Essa viagem será mais longa do que eles imaginavam...

Comentando...

Que livro absolutamente, encantador! Muitos suspiros, agonia, riso e alegria ao ler "Cilada para um marquês". MacLean cria personagens tão bem que é como se você vivesse a vida deles ou fosse a melhor amiga, daquele tipo confidente. 

A heroína é daquelas personagens que o leitor facilmente se simpatizará : leal, romântica e apaixonada por  livros:



"[...] Ela jamais iria querer aquele mundo e suas aparências.[...] " - Página 20

"[...] Os livros eram aventuras encadernadas em couro, com páginas e mais páginas de mundos distantes, pessoas e ensinamentos notáveis; felicidade simples e honesta.[...]" -Página 67

" [...] Cada livro que você leu fez de você uma pessoa melhor." - Página 217

O herói é aquele que se faz de difícil, irritante as vezes e ao mesmo tempo, apaixonante:

" Se você está tentando apelar para minha bondade, não tente.Não possuo muito disso." - Página 47

" [...] Ela podia ser uma princesa, mas ele não era um príncipe." - Página 96

 Leitura que a cada página lida já paira aquele ar de saudosismo. Trama elaborada cuidadosamente em que cada passo dado pelos personagens consegue captar atenção do leitor.

O título de cada capítulo refere-se a uma suposta manchete do jornal de fofocas " Escândalos & Canalhas". É extremante, interessante ler na última página, a chamada "Edição Especial" que contêm notas da autora explicando que realmente existiam inúmeros jornais dedicados a fofoca da Sociedade e que um livro que a heroína lê existe.

Narrado em terceira pessoa, com uma boa diagramação principalmente quanto a fonte de letra utilizada no título de cada capítulo no estilo "Jornalístico". Não há travessão nos diálogos, optou-se por aspas. E capa linda para se ter na estante. 



"Cilada para um marquês" é um romance de época que ,sem dúvidas, merece ser lido.