quinta-feira, 24 de maio de 2018

Filme: A Barraca do beijo

Sinopse:Melhores amigos desde sempre, Elle (Joey King) e Lee (Joel Courtney) têm a inventiva ideia de gerenciar uma barraca do beijo durante um evento da escola. Para fazer da proposta um sucesso, a garota tenta convencer o galã Noah (Jacob Elordi), seu crush e irmão mais velho de Lee, a participar da brincadeira. Ele mostra-se irredutível, mas os dois acabam se aproximando como nunca, o que estremece a amizade de Elle e Lee

Comentando...


 Soube deste filme antes de estrear pois uma amiga minha viu o trailer e logo lembrou de mim( Sim, estes filmes fazem meu estilo). Então, assim que teve o lançamento oficial pela Netflix, afinal  "A Barraca do Beijo" é produção original do  famoso streaming, fui conferirO resultado? Tornou-se um dos meus filmes de comédias adolescentes favoritos

 Há absolutamente todos os clichês românticos possíveis contudo, isso não o faz ficar ruim pelo contrário a faz sorrir e suspirar.

 O filme foi inspirado em um livro que em breve estará na Brasil (Já está em Pré-venda nos sites). A autora chama-se Beth Reekles e ajudou a escrever a adaptação para as telas. Beth é formada em Física e originalmente seu livro foi publicado pela plataforma whatpadd que chamou atenção de uma editora pelo enorme número de leituras. Assisti uma entrevista com a autora e ela demonstra-se extremamente simpática e humilde.

 Voltando ao filme... A narrativa é pelo ponto de vista de Elle de um modo que ficou bem divertido. A escolha de todo elenco foi ótima e há aquela química entre os protagonistas. Elle é uma personagem alegre e destemida. Mesmo com a carga de tristeza que carrega ela teve apoio de seu melhor amigo Lee e são como irmãos visto que além de dividirem a paixão pela dança, nasceram no mesmo dia,  mesmo horário e ainda são vizinhos (Queria muito ter um amigo assim e quem não quer?). 

 Eles criaram desde crianças uma Lista de Regras da amizade. Entre os itens da lista estão: "Regra um: só o seu melhor amigo pode saber seus desejos de aniversário. Regra Dois: nunca contar nossos segredos para outras pessoas... Regra nove: parentes do seu melhor amigo são totalmente proibidos"... A Regra nove que é o problema já que Elle sempre teve uma queda pelo Noah Flynn - irmão mais velho de seu melhor amigo. Os dois implicam um com o outro e a grande "virada" nos acontecimentos é quando tem o evento da Barraca do Beijo...

Entre o elenco merece destaque a participação de Molly Ringwald atriz famosa por ser a mocinha em filmes de comédia-romântica dos anos 80 como "Gatinhas e Gatões", "A Garota de Rosa Shocking" e o aclamado "Clube dos cinco" . Este na minha opinião ganhou uma singela homenagem porque a canção " Don't You Forget About Me " da banda Simple Minds  é tocada em um momento especial.

Ah! A autora fez uma participação especial na cena de aniversário de Elle e Lee. (Beth Reekles é a de vestido amarelo  com a pluma azul) - Foto retirada do Instagran da escritora.

Frase marcante do filme: "Porque eu amo você.E aqui, na frente de todos estou dizendo que amo você."

Dica: Assistam as cenas quando termina oficialmente o filme, tem "extras" de certos acontecimentos.

 Foi publicado um único livro de "A Barraca do beijo" (Espero que tenha continuação). Não sei dizer o quanto o filme foi fiel a obra pois ainda não li. Contudo, o título deixa a sua marca sendo aquela obra cinematográfica fofa e isso, certamente, ninguém pode negar.

sexta-feira, 18 de maio de 2018

Livro:Princesa de Papel - Erin Watt

Sinopse: Ella Harper é uma sobrevivente. Nunca conheceu o pai e passou a vida mudando de cidade em cidade com a mãe, uma mulher instável e problemática, acreditando que em algum momento as duas conseguiriam sair do sufoco. Mas agora a mãe morreu, e Ella está sozinha. 
É quando aparece Callum Royal, amigo do pai, que promete tirá-la da pobreza. A oferta parece tentadora: uma boa mesada, uma promessa de herança, uma nova vida na mansão dos Royal, onde passará a conviver com os cinco filhos de Callum. 
Ao chegar ao novo lar, Ella descobre que cada garoto Royal é mais atraente que o outro – e que todos a odeiam com todas as forças. Especialmente Reed, o mais sedutor, e também aquele capaz de baixar na escola o “decreto Royal” – basta uma palavra dele e a vida social da garota estará estilhaçada pelos próximos anos. 
Reed não a quer ali. Ele diz que ela não pertence ao mundo dos Royal. E ele pode estar certo.


Comentando...

 "Princesa de Papel" logo chama atenção pela bela capa, detalhes da diagramação e pelo título. Mas é bom ressaltar que apesar da protagonista ter 17 anos, é um livro destinado para o público maior de 18 anos.

 Trata-se de uma leitura um tanto que polêmica, alguns leitores gostaram outros nem tanto. Contudo, assim que soube do livro fiquei com muita vontade de ler para ter minha própria opinião.

 A narração é feita em primeira pessoa  na visão da protagonista Ella. Vocabulário bem informal porém sempre há algum acontecimento na trama e isso faz o leitor ficar lendo diversas páginas sem nem notar, consegue captar a atenção.

 Ella é uma personagem extremamente forte, passou por inúmeras dificuldades em sua vida e morar com a família Royal vai ser outra etapa nada fácil . O destaque é que em diversas situações, Ella poderia ter desabado em choro e desespero; mas não. Ela tenta dar a volta por cima e fazer o melhor que pode para se adaptar ao "mundo novo" pois além do luxo proporcionado pelo dinheiro, há muita intriga,festas, inveja e segredos envolvendo os Royals.


" [...] Às vezes, acho que sou jovem demais para ter vivido a vida que eu tive." - Páginas 20/21

" Sorrir não faz parte do meu estado natural. Na verdade, até dói. Meu rosto está desacostumado [...]" - Página 110

— [...] Você pode ter perdido sua família, mas não está mais sozinha, Ella.Você é uma Royal agora." - Página 35

O título do livro é ótimo e adorei  que há referencia sobre tal:

" Esta casa é uma ilusão. É polida e bonita, mas o sonho que Callum está tentando me vender é frágil como papel. Nada fica brilhante para sempre neste mundo" - Página 39

 Outra personagem feminina que deu dinâmica a leitura é Valerie. Quanto aos personagens masculinos... Acho que é exatamente neles que está a "polêmica". E a seguinte frase talvez traduza um pouquinho:

" [...] Reed Royal é um vilão disfarçado de príncipe" - Página 198

O fato é que normalmente ao ler romances é comum ter aquele herói romântico em que as qualidades se sobressaem a qualquer mínima imperfeição. Entretanto, não existe este almejado mocinho no livro.

 Apesar da beleza física da família Royal não há demonstrações desta mesma beleza interior. Diversas atitudes dos filhos de Callum Royal são extremamente cruéis.  Quem já assistiu o seriado Gossip Girl, certamente, vai lembrar de Chuck Bass - um personagem rico mas que descontava seus conflitos internos magoando as pessoas ao seu redor. Tive esta sensação com os membros da família Royal. Agora fica o questionamento, estes personagens tem redenção? Eles deixam o leitor com raiva e em certos momentos demostram fragilidade, nota-se que ainda tem algo bom dentro de cada um.  

— [...] Eu preciso sair deste maldito lugar e me transformar em algo melhor. Em alguém ... digno... —  A voz dele tropeça na última palavra." - Página 260

No meio conflito todo, consegue-se criar uma forte química entre o casal formado.

Curiosidade: Erin Watt é o pseudônimo escolhido pelas autoras Elle Kennedy e Jen Frederick . 


 Não foi por acaso que "Princesa de Papel" entrou na lista de mais vendidos do The New York Times ocupando o primeiro lugar. Visto que o final deste volume surpreende e deixa o leitor curioso para saber quais serão os próximos acontecimentos.

quarta-feira, 9 de maio de 2018

Assisto ou Desisto: seriado The Alienist



Sinopse: Um trio de formado pelo psiquiatra Laszlo Kreizler (Daniel Bruhl)  o desenhista John Moore  (Luke Evans) Sara Howard (Dakota Fanning) tenta desvendar uma série de terríveis crimes ocorridos em Nova York.

Comentando...

The Alientist é baseado no livro  de mesmo título da série, escrito pelo autor norte-americano Caleb Carr. 


O título da série, sempre é explicado a cada capítulo com a seguinte frase: 

" No século 19, acreditava-se que pessoas que sofriam de doenças mentais estavam alienadas de sua verdadeira natureza.Especialistas que a estudavam eram conhecidos como alienistas."

O alienista é  Dr. Laszlo que tem um instituto que trata de crianças com problemas psiquiátricos. Lazlo é solitário e tem como grande amigo John. Quando acontece um terrível assassinato envolvendo um garoto mutilado usando um vestido, este fato faz Laszlo lembrar de um antigo paciente e resolve tentar descobrir o serial Killer, visto que outras mortes com as mesmas características irão ocorrer.

Personagens são complexos, história bem construída e um ótimo elenco foram elementos que tornam The Alienist aquele seriado que te instiga e capta atenção até o último episódio.

 Tinha o "pé atrás" por ser com a Dakota Fanning em que infelizmente até então,  eu não tinha assistido grandes papéis interpretados por ela. Mas nesta série, a atriz  surpreende de maneira positiva.

Ao assistir "The Alienist" esteja preparado para cenas fortes envolvendo sangue e a carga muito dramática desde protagonistas aos personagens que foram vítimas do serial Killer. O seriado mostra diversas facetas como a corrupção da polícia, a perda da inocência das crianças para sobreviver, o preconceito com a mulher e o desiquilíbrio de algumas mentes. Conforme o diálogo:


— E deles, um dia, poderemos aprender o que compele um homem a fazer o mal.
E a fazer o bem"

Há um desfecho para o caso. Contudo, fico na torcida para que façam uma nova temporada envolvendo outro mistério.

domingo, 6 de maio de 2018

Livro: Geekerela - Ashley Poston













Sinopse:Quando Elle Wittimer, nerd de carteirinha, descobre que sua série favorita vai ganhar uma refilmagem hollywoodiana, ela fica dividida. Antes de seu pai morrer, ele transmitiu à filha sua paixão pelo clássico de ficção científica, e agora ela não quer que suas lembranças sejam arruinadas por astros pop e fãs que nunca tinham ouvido falar da série. Mas a produção do filme anunciou um concurso de cosplay numa famosa convenção valendo um convite para um baile com o ator principal, e Elle não consegue resistir. Na Abóbora Mágica, o food truck vegano onde trabalha, ela encontra a ajuda de uma amiga cheia de talentos para moda que vai criar o traje perfeito para a ocasião. Afinal, o concurso é a chance de Elle se livrar das tarefas domésticas impostas pela terrível madrasta e das irmãs postiças malvadas. Já Darien Freeman, o astro adolescente escalado para ser o protagonista do filme, não está nada ansioso para o evento, embora o papel seja seu grande sonho. Visto como só mais um rostinho bonito, o próprio Darien também está começando a achar que se tornou uma farsa. Até que, no baile, ele conhece uma menina que vai provar o contrário. Esta releitura de Cinderela transporta para o universo nerd os principais elementos do clássico conto de fadas, fazendo uma verdadeira homenagem a todos aqueles que sabem o que é ser fã e se dedicar de coração àquilo que amam.

Comentando...

Geekerela  tem que estar na estante de qualquer leitor que já se apaixonou por qualquer seriado ou livro. Ashley Poston acerta em cheio ao criar uma história divertida, dramática em certos pontos e com uma dosagem de romance. 

Apaixonada é o sentimento que descreve o que senti ao ler cada página. O livro é divido em três partes, com citações do seriado fictício "Starfield" (Se este seriado realmente existisse, certamente já teria conquistado inúmeros fãs após esta leitura e sem sombra de dúvidas eu estaria entre eles!)

Danielle Wittimer, mais conhecida como Elle, é uma personagem da qual me identifiquei pelo fato de escrever em um blog " arttilhariarebelde.com" onde expressa suas opiniões sobre Starfield  (Meninas blogueiras vão adorar) e o fato de ela ser apegada a família (Pai e mãe) principalmente ao pai que ensinou a se apaixonar pelo seriado. Elle guarda uma profunda tristeza pela perda de seu pai e o seriado foi uma forma de sua dura realidade ser preenchida em alguns momentos por outro universo. 

O livro tem a narração alternada entre os pontos de vista de Elle e Darien. Inicialmente, eu não achava necessário ter o ponto de vista dele... Mas, este fator foi essencial para conhecer o personagem e quando o leitor se dá conta, ele consegue conquistar o seu coração.

A autora mistura a ficção criada e elementos reais com referências como o ator Chris Pine protagonizando o famoso capitão Kirk de Star Trek, o seriado The O.C, Star Wars, o ator Tom Cruise no sofá da Oprah ... Ah! E  famosa "Comic Con" transforma-se em ExcelsiCon.

Outro ponto essencial foi a "troca de mensagens" entre Elle e Darien. Poder ler cada recado faz o leitor sentir-se parte de algo particular e especial.

A edição está  simplesmente linda, todos os detalhes desde da composição da capa, diagramação e artes na parte interna com referências a obra.

A seguir destaco alguns trechos do livro:


"[...] E parte de mim, uma parte tão pequena que em geral consigo esmagá-la, acha que pode ser meu pai ligando de outro universo." - Página 52

" — Sinto saudades de alguns aspectos, mas não do lugar em si. A realidade nunca é tão boa quanto a nossa lembrança

[...]

 — Seria estranho se eu dissesse que eu entendo como você se sente?

[...]

 — Então podemos ser estranhos juntos." - Página 109 (Troca de Mensagens)

" Escondo o celular debaixo do travesseiro. Porque não sou uma princesa. E este é o universo impossível, onde nunca acontece nada de bom." - Página 136

" Olho para cima, imaginando que talvez ela esteja fazendo o mesmo. Estrelas e mais estrelas até onde a vista alcança. O fundo, preto como tinta, está tão escuro que parece roxo, brilhado com glitter. Tantas estrelas, incandescentes, brancas, queimando como velas no céu escuro." - Página 199


" E se nós dois estivermos olhando ao mesmo tempo, dá para considerar que estamos mesmo tão distantes? Quais são as chances de estarmos no mesmo bloco de pedra giratório neste universo imenso?" - Página 199

 — [...] Reclamar não vai mudar nada. [...] e que eu queria. ai, como eu queria, estar em outro universo. Que diferença vai fazer? - Página 205

"Porque este é o universo impossível. E não tem Camidor, nem Prospero, nem Euci, nem Federação, nem plataforma de observação. Só tem eu, perdida no lado errado, separada de tudo que amo.
 Como a princesa Amara, engolida pela Nebulosa Negra" - Página 242

" [...] E ele enfim responde, como eu esperava que respondesse, como desejei, com o coração inflado e subindo rumo ao espaço." - Página 362

" [...] Quero gravar o olhar dele no meu coração, como se eu fosse a última estrela a sumir à noite e a primeira a surgir no crepúsculo. [...]." - Página 363

Nos Agradecimentos, Ashley Poston cita seriados cancelados, cidades fictícias como a querida Star Hollow (Gilmore Girls) e valoriza a mágica dos livros, seriados, filmes ou desenhos.



Finalizo esta resenha como a autora encerra seus agradecimentos, com a significativa frase: 
" Apontar para as estrelas.Mirar.Disparar. 

quinta-feira, 12 de abril de 2018

Livro: Atraída Por Um Highlander - Série Irmãos Mccabe








Sinopse: A nova trilogia de Maya Banks, autora best-seller do The New York Times, aborda três irmãos inesquecíveis arriscando tudo para salvar seu clã e seu legado ? e para entregar seus corações ao amor. Ewan McCabe, o mais velho dos irmãos, é um guerreiro determinado a dizimar seu inimigo. E o agora é um momento oportuno para a batalha, já que seus homens estão prontos e Ewan está preparado para pegar de volta o que lhe pertence; contudo, uma tentação de olhos azuis e cabelos negros adentra seu castelo e sua vida. Mairin pode ser a salvação do clã de Ewan, mas, para um homem que sonha com vingança, os assuntos do coração são um território insignificante para conquistar. Filha ilegítima do rei, Mairin tem uma propriedade valorizada que a tornou o centro de um jogo de interesses ? e reticente no amor. Seus piores medos vêm à tona quando ela é resgatada do perigo só para ser obrigada a se casar com seu salvador carismático e autoritário, Ewan McCabe. Mas a atração por seu novo marido robustamente poderoso a faz implorar por seu toque surpreendentemente gentil; seu corpo ganha vida sob aquele controle sensual. E, conforme a guerra se aproxima, a força, a alma e a paixão de Mairin desafiam Ewan a derrotar seus demônios ? e se entregar a um amor que vale mais do que vingança e dinheiro.

Comentando...

Foi meu segundo contato com um romance de época da autora Maya Banks e o saldo foi positivo. O que chama atenção em "Atraída Por Um Highlander "  é a inserção do universo de clãs, a lealdade entre os membros do clã, os costumes como treinar exército,  as guerras pelas disputas por riquezas e o passado de cada personagem que o torna o que ele é no momento em que "sua aventura" é narrada.

O enredo é muito bem conduzido, não há grandes reviravoltas, entretanto a narrativa consegue captar atenção do leitor. Há um vilão, um traidor ou será traidora? (Não vou revelar, tem que ler).

O romance entre os protagonistas não será o tradicional repleto de flertes para depois nas partes finais o tão sonhado casamento. É justamente, por meio dos laços matrimoniais e do convívio diário que o casal vai se apaixonando.

 Inicialmente, não espere palavras bonitas e poesias de Ewan MacCabe. Ele tem atitudes de um guerreiro conforme foi a sua criação porém tem um nobre coração.

É interessante acompanhar como Mairin Stuart é forte e mesmo sendo obrigada em grande parte da vida a  ficar "isolada do mundo", ela vai aprendendo a ser parte do clã MacCabe. Falando nestes, destaques para os irmãos de Ewan, no livro percebemos o companheirismo e amor que nutrem um pelo outro.

Existem duas cenas em especial  que Maya Banks coloca em pauta a questão que as mulheres não devem ser tratadas como submissas, merecem respeito e igualdade. 

Quanto as descrições a autora usa uma linguagem crua nas ditas "cenas hots", por isso é aquela leitura recomendada para maiores de 18 anos.

Ao final do livro já há um trecho do próximo volume " Seduzida por um highlander" que será focado em Alaric McCabe. 

A diagramação é extremamente simples, claro que isso não desvaloriza o  livro, o conteúdo é o que importa. Mas este aspecto  poderia ser mais trabalhado. Já a capa além de chamar atenção retrata bem a protagonista.

Finalizando a resenha deixo uma imagem de como imagino o casal: Mairin e Ewan

segunda-feira, 9 de abril de 2018

Assisto ou Desisto: Série The Handmaid's Tale








Sinopse:Depois que um atentado terrorista ceifa a vida do Presidente dos Estados Unidos e de grande parte dos outros políticos eleitos, uma facção toma o poder com o intuito declarado de restaurar a paz. O grupo transforma o país na República de Gilead, instaurando um regime totalitário baseado nas leis do antigo testamento, retirando os direitos das minorias e das mulheres em especial. Em meio a isso tudo, Offred é uma "handmaid", ou seja, uma mulher cujo único fim é procriar para manter os níveis demográficos da população. Ela é entregue ao Comandante, um oficial de alto escalão do regime, e a relação sai dos rumos planejados pelo sistema.

Comentando...

O "Assisto ou Desisto" de Abril é da famosa série 
The Handmaid's Tale baseado no livro ("O conto da Aia") de 1985 da autora  Margaret Atwood. Não li o livro então esta postagem está restrita sobre a série que por sinal, nossa (Nossa!) é difícil de comentar. 

Inicio pelas premiações que não são poucas: Indicada a 13 Emmys e ganhou em oito categorias. Vencedor de dois Globos de Ouro, dois prêmios 
Satellite Award , dois TCA  Award , dois referente ao Critics' Choice Television Award e um prêmio de Costume Designers Guild Award.

Exibida originalmente pelo serviço de streaming Hulu e recentemente começou a ser exibida em canais de tv à cabo. A primeira temporada é composta de 10 episódios com duração entre 50 até 60 minutos. 

Offred, uma mulher que acabou sendo transformada em uma Aia( Termo utilizado para as mulheres responsáveis por gerar um filho , visto que a maioria das mulheres não conseguia ter um bebê).As Aias eram obrigadas a ter relações sexuais com os comandantes designados a elas com a presença da esposa, o ato é chamado de "cerimônia". Ao longo dos episódios o espectador tem "flashes" sobre a antiga vida de Offred (Ela tinha um marido, uma filha).Também é mostrado o passado de outros personagens importantes na história.

As cenas são fortes e muito chocantes. Mostra o extremo sofrimento das mulheres sendo tratadas como inferiores perante aos homens, a hipocrisia da nova Sociedade estabelecida e coloca em questionamento o "Fanatismo Religioso" que justifica atos brutais e desumanos.

Ótimas atuações, destaque é que tem  Alexis Bledel - eterna Rory de Gilmore Girls. Me pergunto o que a personagem Lorelai Gilmore falaria ao ver cada capítulo. O episódio de número dez deixou aquela curiosidade por mais e em breve teremos a segunda temporada. 


Por fim, prepare-se para frases como: “Bendito seja o fruto” e “que o Senhor possa abrir” e bom seriado.